Frases de W.E.B. Du Bois página 2

W.E.B. Du Bois photo
0   0

W.E.B. Du Bois

Data de nascimento: 23. Fevereiro 1868
Data de falecimento: 27. Agosto 1963
Outros nomes:ویلیام دوبوآ

Publicidade

William Edward Burghardt "W. E. B." Du Bois foi um sociólogo, historiador, ativista, autor e editor. Nascido no interior do estado de Massachusetts, Du Bois cresceu em uma comunidade relativamente tolerante e integrada. Casou-se com Nina Gomer em 1896, com quem teve dois filhos: Burghart e Yolanda. Um ano depois da morte de Nina, casou-se com Shirley Graham.

Du Bois recebeu um diploma em 1888 pela Universidade Fisk, e um segundo diploma pela Harvard em 1890. Depois de dois anos de estudo na Universidade de Berlim, recebeu seu Ph.D pela Harvard em 1895.

W.E.B. Du Bois foi um autor prolífico, que publicou mais de vinte livros ao longo de sua vida. Além das publicações acadêmicas, escreveu novelas e poesia. Foi também um ativista ferrenho da justiça social e racial. Ele foi o principal fundador do "Movimento Niagara", no qual exercia a função de Secretário Geral. No mais, fundou o National Association for the Advancement of Colored People , exercendo a função de Presidente do Conselho por muitos anos. Combateu abertamente questões da sua época como linchamentos, discriminação e exploração colonial, também foi o líder mundial do movimento pan-africano, servindo como Secretário do Primeiro Congresso pan-africano. Tornou-se um socialista, e depois um comunista, que lutou pelos direitos das mulheres, dos judeus, e dos trabalhadores, podendo ser considerado como um dos arquitetos do movimento dos direitos civis. Fundou a American Black Academy, onde pode apoiar manifestações de arte e cultura.

Du Bois ganhou proeminência nacional como líder do Movimento do Niagara, um grupo de ativistas afro-americanos que lutavam por direitos iguais para os negros. Du Bois e seus defensores se opuseram ao Compromisso de Atlanta, um acordo elaborado por Booker T. Washington que versava que os negros do sul trabalhariam e submeter-se-iam às regras políticas dos brancos, enquanto os brancos do Sul garantiriam que os negros recebessem oportunidades educacionais e econômicas básicas. No entanto, Du Bois insistiu na determinação de plenos direitos civis e aumento da representação política dos negros, que ele acreditava que seria reivindicada pela elite intelectual afro-americana. Ele referiu-se a este grupo como o décimo talentoso e acreditava que os afro-americanos necessitavam de chances para ter uma formação avançada e desenvolver sua liderança.

O racismo foi o principal alvo das polêmicas de Du Bois, tendo protestado fortemente contra o linchamento, leis de Jim Crow e discriminação na educação e no emprego. A sua causa incluiu pessoas de cor em todos os lugares, especialmente africanos e asiáticos em suas lutas contra o colonialismo e o imperialismo. Ele era um defensor do pan-africanismo e ajudou a organizar vários Congressos Pan-Africanos para defender a libertação das colônias africanas das potências europeias. Du Bois fez várias viagens para a Europa, África e Ásia. Após a Primeira Guerra Mundial, ele pesquisou as experiências dos soldados negros americanos na França e documentado intolerância generalizada nas forças armadas dos Estados Unidos.

Apesar de sua luta contra o racismo, Du Bois aceitava o princípio eugênico segundo o qual os indivíduos possuiriam diferentes características inatas que os fariam mais ou menos adequados a diferentes funções sociais. Além disso, acreditava que os mais talentosos dentro de cada raça deveriam procriar para ciar uma humanidade melhor.

Du Bois foi um autor prolífico considerado o pai do pan-africanismo. Sua coleção de ensaios, As Almas da Gente Negra , foi um trabalho seminal na literatura Africano-Americana; e seu magnum opus de 1935, A Reconstrução Negra na América desafiou a ortodoxia dominante de que os negros eram responsáveis pelos fracassos da era da Reconstrução dos Estados Unidos. Ele escreveu o primeiro tratado científico no campo da Sociologia; e publicou três autobiografias, cada qual contendo ensaios perspicazes sobre Sociologia, Política e História. Em seu papel como editor do jornal da NAACP, A Crise , publicou muitas peças influentes. Du Bois acreditava que o capitalismo era a principal causa de racismo, e era geralmente solidário com os socialistas ao longo de sua vida. Ele era um ativista ardente da paz e defendeu o desarmamento nuclear. A Lei dos Direitos Civis dos Estados Unidos, incorporando muitas das reformas para que Du Bois tinha defendido toda a sua vida, foi promulgada um ano após sua morte.

Citações W.E.B. Du Bois

„The most magnificent drama in the last thousand years of human history is the transportation of ten million human beings out of the dark beauty of their mother continent into the new-found Eldorado of the West.“

—  W.E.B. Du Bois
Context: The most magnificent drama in the last thousand years of human history is the transportation of ten million human beings out of the dark beauty of their mother continent into the new-found Eldorado of the West. They descended into Hell; and in the third century they arose from the dead, in the finest effort to achieve democracy for the working millions which this world had ever seen. It was a tragedy that beggared the Greek; it was an upheaval of humanity like the Reformation and the French Revolution. Yet we are blind and led by the blind. We discern in it no part of our labor movement; no part of our industrial triumph; no part of our religious experience. Before the dumb eyes of ten generations of ten million children, it is made mockery of and spit upon; a degradation of the eternal mother; a sneer at human effort; with aspiration and art deliberately and elaborately distorted. And why? Because in a day when the human mind aspired to a science of human action, a history and psychology of the mighty effort of the mightiest century, we fell under the leadership of those who would compromise with truth in the past in order to make peace in the present and guide policy in the future. p. 727

Publicidade

„The problem of the twentieth century is the problem of the color line.“

—  W.E.B. Du Bois, The Souls of Black Folk
To the Nations of the World, address to Pan-African conference, London (1900). These words are also found in The Souls of Black Folk (1903), ch. II: Of the Dawn of Freedom

Publicidade
Publicidade

„The cause of war is preparation for war.“

—  W.E.B. Du Bois
Darkwater (1920), Ch. II: The Souls of White Folk

Próximo