Frases de Robert Mugabe

Robert Mugabe foto
1  10

Robert Mugabe

Data de nascimento: 21. Fevereiro 1924

Publicidade

Robert Gabriel Mugabe é um político e actual presidente do Zimbábue. Lidera o país desde 1980, primeiro como primeiro-ministro e, desde 1986, como Presidente com poderes executivos.

Pertencente à uma tribo denominada shona, filho de um fazendeiro local, foi educado numa escola de jesuítas. Foi professor primário na antiga Rodésia, Zâmbia e Gana entre os anos 1942-1949 e 1955-1960. Possui diplomas de inglês, História e Educação nas mais prestigiadas universidades africanas e obteve uma licenciatura em Economia na Universidade de Londres.

Participou no movimento de Joshua Nkomo, a União Popular Africana do Zimbábue , em 1960 e três anos mais tarde funda a União Nacional Africana do Zimbábue - Frente Patriótica .

É preso em 1964 devido às suas actividades políticas, sendo libertado em 1974, altura em que parte para Moçambique, onde lidera uma guerrilha que se opõe ao Governo de minoria branca de Ian Smith. Com o acordo de paz de Lancaster House, assinado em Londres em 1979, após meses de negociações, Mugabe voltou para a ex-Rodésia e foi calorosamente recebido pela maioria negra.

Torna-se primeiro-ministro da ex-Rodésia em 1980, ao vencer as primeiras eleições democráticas. Em abril do mesmo ano, é declarada a independência do país que passou a ser designado por Zimbabwe .

Em 1982 passa a liderar o país sozinho, rompendo a coligação de Unidade Nacional de dois anos com Joshua Nkomo e pondo termo a uma ligação que imperava, desde 1976, com a União Popular Africana do Zimbábue de Joshua Nkomo, em que votava a maioria dos membros da etnia ndeble. Este processo de separação despoletou violentos confrontos entre as duas fações, originando uma onda de repressão contra os membros da ZAPU e osndeble.

Passando a centralizar o poder e obtendo cada vez mais autoridade, termina com o sistema parlamentar, instaurando um sistema com um maior pendor presidencialista. É eleito Presidente em 1984, 1990, 1996 e 2002 em eleições consideradas, por muitos, ilegais e fora do controlo democrático, habitual de um estado de direito.

A derrota no referendo de 2000, que possibilitaria uma revisão constitucional , foi um dos únicos reveses do regime ditatorial de Robert Mugabe, contudo isso não impediu o seu governo de concretizar em pleno os seus objectivos de Reforma Agrária por ele preconizados, retirando terras a agricultores brancos e entregando-as a membros do seu partido. Com isto, a produção agrícola caiu para valores muito baixos e o país, antes exportador de produtos agrícolas, passou a importador, a haver fome nas cidades e a um clima de hiperinflação, que tornou a moeda local com valores ridiculamente elevados e ao seu posterior desaparecimento. Actualmente, estima-se que o Zimbabwe seja um dos países com maior número de pessoas a viverem abaixo do limiar de pobreza.

Nos anos dos seus mandato, Mugabe, sendo um marxista que se alinhou completamente aos ideais marxistas com o fim da URSS, deu seguimento a um conjunto de políticas de carácter marxistas, nacionalizando várias indústrias ao mesmo tempo que expropriava várias terra da população pobre e seguia os seus planos de aumento de impostos e de controle de preços, alastrando assim o controle do estado sobre os diversos setores da economia. Promoveu investimentos no setor educacional e reduziu a qualidade de vida do Zimbábue a níveis anormais para países emergentes. Em 1991, promoveu um programa de austeridade visando absorver os profissionais graduados do seu então péssimo sistema educacional, com o auxílio logístico e financeiro do FSP, o que resultou em uma queda brusca no estilo de vida da maioria pobre. Resultando em uma marginalização crescente da população, o programa foi cancelado pelo FSP. A economia está em grave declínio e a população severamente afetada pelo desemprego, fome e SIDA.

Surgiram vários casos de violência e de intimidação, perpetuados contras os opositores políticos de Robert Mugabe. O seu governo é considerado um dos mais corruptos de todo o continente africano, sendo suspeito de vários esquemas paralelos de venda de diamantes e outros minerais do país. Governando num regime de caráter autoritário e antidemocrático, Robert Mugabe, um exacerbado social-nacionalista, é responsabilizado por aprovar polêmicas restrições ao direito de voto e uma lei que permite o afastamento dos observadores independentes, além de uma severa perseguição à imprensa interna. Da mesma forma, limita os direitos civis dos cidadãos do seu país.

Robert Mugabe venceu as eleições convocadas para o dia 28 de junho de 2008, sendo reconduzido mais uma vez ao poder, desta feita pela sexta vez consecutiva, por desistência de Morgan Tsvangirai, que tinha ganho a primeira volta, após vários dos seus apoiantes terem sido assassinados. Com o apoio internacional, houve uma partilha de poder que durou cerca de quatro anos, mas o Governo de Unidade Nacional revelou-se ineficaz para acabar com as fortes tensões e evitar confrontos sangrentos entre os apoiantes de Mugabe e Tsvangirai. Em 31 de junho de 2013 Robert Mugabe foi novamente reeleito, apesar da oposição e observadores considerarem fraudulenta a eleição.

Citações Robert Mugabe

Publicidade

„Stay with us, please remain in this country and constitute a nation based on national unity.“

— Robert Mugabe
[http://news.bbc.co.uk/onthisday/hi/dates/stories/january/27/newsid_2506000/2506219.stm BBC News 'On This Day'] A plea to the white population of Zimbabwe in a speech at a ZANU-PF rally, 27 January 1980.

„It may be necessary to use methods other than constitutional ones.“

— Robert Mugabe
"ZAPU deposes Mr. Nkomo as Leader", The Times, 9 July 1962, p. 9. Remarks to the press, 8 July 1962, concerning the future strategy of ZAPU in achieving majority rule.

„I wish to assure you that there can never be any return to the state of armed conflict which existed before our commitment to peace and the democratic process of election under the Lancaster House agreement.“

— Robert Mugabe
[http://web.archive.org/web/20040312141228/http://www.gta.gov.zw/Presidential+Speeches/1980_Nat_Add.html Address to the nation by the Prime Minister-elect] Broadcast speech on Zimbabwe-Rhodesia Television, 4 March 1980, on winning the election.

Publicidade

„Let Blair and the British government take note and listen. Zimbabwe is for Zimbabweans. Our people are overjoyed. The land is ours. We are now the rulers and owners of Zimbabwe.“

— Robert Mugabe
Michael White, Andrew Meldrum, "Commonwealth leaders delay decision on defiant Mugabe", The Guardian, 6 December 2003, p. 2. Speech to ZANU-PF Congress, 5 December 2003.

„It was an act of madness. We killed each other and destroyed each other's property. It was wrong and both sides were to blame. We have had a difference, a quarrel. We engaged ourselves in a reckless and unprincipled fight.“

— Robert Mugabe
Remarks at a memorial for Joshua Nkomo (2 July 2000), referring to the Gukurahundi massacres. Quoted in Mugabe: Power, Plunder, and the Struggle for Zimbabwe's Future (2009) by Martin Meredith

„Africa must revert to what it was before the imperialists divided it. These are artificial divisions which we, in our pan-African concept will seek to remove.“

— Robert Mugabe
"African threat to ban Sir Roy Welensky", The Times, 10 April 1962, p. 10. Speech at a meeting in Salisbury, Southern Rhodesia, 9 April 1962.

„We have fought for our land, we have fought for our sovereignty, small as we are we have won our independence and we are prepared to shed our blood…. So, Blair keep your England, and let me keep my Zimbabwe.“

— Robert Mugabe
Speech at the Earth Summit in Johannesburg (2 September 2002), quoted in John Battersby and Andrew Grice, "Anti-West anger at summit as Mugabe rounds on Blair", The Independent, 3 September 2002, p. 1.

Publicidade

„We are now being coerced to accept and believe that a new political-cum-religious doctrine has arisen, namely that there is but one political God, George W Bush, and Tony Blair is his prophet.“

— Robert Mugabe
Accusing President Bush and Tony Blair at the UN General Assembly in New York on the US-led Invasion of Iraq. 2004-09-23[http://news.bbc.co.uk/2/hi/africa/3682352.stm]

„Our party must continue to strike fear in the heart of the white man, our real enemy!“

— Robert Mugabe
"Whites are real enemy, warns Mugabe", Irish Times, 15 December 2000, p. 11. Speech to ZANU-PF congress, Harare, 14 December 2000.

Próximo