Frases de Olga Nikolaevna Romanova

Olga Nikolaevna Romanova foto

1   0

Olga Nikolaevna Romanova

Data de nascimento: 15. Novembro 1895
Data de falecimento: 17. Julho 1918

Grã-duquesa Olga Nikolaevna Romanova da Rússia foi uma grã-duquesa do Império Russo e a primeira filha do tsar Nicolau II Romanov e da tsarina Alexandra Feodorovna de Hesse, nascida no dia 15 de Novembro de 1895 no Palácio de Alexandre em Czarskoe Selo, São Petersburgo. Entre os seus padrinhos encontrava-se a sua bisavó, a Vitória do Reino Unido.

Durante a sua vida, o futuro casamento de Olga foi alvo de grande especulação na Rússia e houve rumores de que ela estaria ligada ao seu primo, grão-duque Dmitri Pavlovich Romanov, ao príncipe Carlos von Hohenzollern-Sigmaringen, depois rei Carlos II da Roménia, ao príncipe Eduardo de Gales e com o príncipe Alexandre da Sérvia.

O assassinato de Olga após a revolução russa de 1917, resultou na sua canonização como Portadora da Paixão pela Igreja Ortodoxa Russa. Nos anos que se seguíram à sua morte, várias pessoas fizeram-se passar por sobreviventes da família imperial e Olga não foi exceção. Uma mulher chamada Marga Boodts afirmou ser a Grã-Duquesa mais velha, mas nunca foi levada a sério. Os seus restos mortais foram identificados através de testes ADN nos anos 1990 e foram enterrados juntamente com os dos seus pais e duas das suas irmãs na Catedral do Forte Pedro e Paulo em São Petersburgo em 1998.



„Dai-nos, Senhor, a paciência, neste ano de dias de tempestade e cheios de trevas, para conseguirmos sofrer a opressão popular e as torturas dos nossos carrascos. Dai-nos a força, ó Senhor da justiça para perdoar-nos o mal dos nossos irmãos e para carregar a Cruz tão pesada e sangrenta, com a tua humildade. Nos dias em que os inimigos nos roubam, que consigamos suportar a vergonha e a humilhação, Cristo, nosso salvador, ajuda-nos. Mestre do mundo, Deus e do Universo, abençoa-nos com rezas e dá às nossas almas o humilde descanso nesta hora horrível e insuportável. No limiar da nossa sepultura, respira para os lábios dos teus humildes escravos força maior do que a força humana - para rezar pelos nossos inimigos.“

Autores parecidos