Frases de I. L. Peretz página 2

I. L. Peretz foto
0  0

I. L. Peretz

Data de nascimento: 30. Maio 1852
Data de falecimento: 3. Abril 1915

Publicidade

Isaac Leib Peretz

, também grafado às vezes como Yitskhok Leybush Peretz, mais conhecido como I. L. Peretz, foi um escritor, poeta e teatrólogo de língua iídiche da Polônia. Peretz, Mendele Mocher Sefarim e Sholem Aleichem são considerados os três grandes escritores clássicos em língua iídiche. Sol Liptzin escreveu: "Yitzkhok Leibush Peretz foi o grande despertador dos judeus de língua iídiche, e Sholem Aleichem seu consolador... Peretz despertou em seus leitores a vontade de autoemancipação, a vontade de resistência..."

Peretz rejeitou o universalismo cultural, vendo o mundo como composto de diferentes nações, cada uma com seu próprio caráter. Liptzin comenta que "Cada povo é visto por ele como um povo escolhido..."; ele viu como seu papel de escritor judeu exprimir "ideais judaicos... baseados na tradição judaica e história judaica."

Ao contrário de outros Maskilim, tinha grande respeito pelos judeus chassídicos por seu modo de ser no mundo; ao mesmo tempo, entendia a necessidade de levar em conta a fragilidade humana. Seus contos como "E Talvez Mais Alto", "Cabalistas" e "À Cabeceira do Moribundo" enfatizam a importância da devoção sincera, em vez da religiosidade vazia.Segundo J. Guinsburg, organizador e tradutor para o português de uma coletânea de contos de Peretz, "Peretz pode ser considerado como o verdadeiro modernizador da literatura iídiche. Não só porque, através de sua pena, ela ecoou conscientemente o tema social e socialista ou porque se abriu às estéticas literárias da Europa. Romântico, realista, simbolista, impressionista, admirador de Heine, Hamsun, Ibsen, Tchekhov, Górki e tantos outros poloneses, franceses, alemães, foi ele sobretudo o homem que instituiu o indivíduo, a subjetividade, a emoção pessoal, a análise psicológica e mesmo intimista, em uma literatura que até então não fora muito além do tipo, do esboço coletivo, da análise de costumes, da redução do real ao objetivo, ao externo."Segundo Mônica de Gouveia, "Peretz não era um poeta popular inocente, nem um seguidor do Hassidismo, mas incorporou o elemento popular e a religiosidade às suas próprias crenças e pontos de vista. Ele impôs sua própria experiência sobre este material popular e tradicional, modulando-o conforme sua expressão estética."

Citações I. L. Peretz

„According to the generation is the music thereof.“

— Isaac Leib Peretz
A Gilgul fun a Nign, 1901. Alle Verk, vi. 73.

Publicidade

„We take a drink only for the sake of the benediction.“

— Isaac Leib Peretz
Quoted by M. Samuel, Prince of the Ghetto, 179.

„Not all Hasidim are hasidim.“

— Isaac Leib Peretz
Torah, 1906. Alle Verk, iv. 75.

„He who provides life provides also a living.“

— Isaac Leib Peretz
Yohanan Melamed's Maaselech. Alle Verk, vi. 181.

Publicidade

„A stranger's rose is but a thorn.“

— Isaac Leib Peretz
In Alien Lands, translated by Leah W. Leonard.

„In this world it is very dangerous to be weak.“

— Isaac Leib Peretz
Shreib a Feleton, 1895. Alle Verk, xii. 77.

„I want to soar the boundless blue
Where winds and tempests have their birth,
And let the clouds conceal for me
Not heaven, but the earth.“

— Isaac Leib Peretz
"I Am a Rainworm", 1900, translated by Jacob Robbins. J. Leftwich. Golden Peacock. Sci-Art, 1939, p. 83.

Publicidade

„Nobody ever stubs his toe against a mountain. It's the little temptations that bring a man down.“

— Isaac Leib Peretz
All for a Pinch of Snuff, c. 1910. Quoted in M. Samuel. Prince of the Ghetto. Alfred A. Knopf, 1948, p. 64.

„Who tells the truth needs no fancy phrases.“

— Isaac Leib Peretz
Yohanan Melameds Maaselach, 1904. Alle Verk, vi. 181.

„Youth is fair, a graceful stag,
Leaping, playing in a park.
Age is gray, a toothless hag,
Stumbling in the dark.“

— Isaac Leib Peretz
Sewing the Wedding Gown, 1906. Nine One-Act Plays from Yiddish. Translated by Bessie F. White, Boston, John W. Luce & Co., 1932, p. 127.

Próximo