Frases de Flora Figueiredo

13   0

Flora Figueiredo

Nós não verificar a identidade deste autor, pode não ser uma pessoa famosa.

Flora Figueiredo - que falta uma descrição mais detalhada do autor.



„Não deixe portas entreabertas. Encare-as ou bata-as de vez.“

„Ouviu-se um estrondo
Baleia presa na teia?
Não! é marimbondo.“


„Grito se agiganta,
embrutece, se enfurece,
morre na garganta...“

„O canteiro assiste:
a antúrio, falso perjúrio,
pões o dedo em riste.“

„Linha de combate:
as granadas e os petardos
são de chocolate.“

„Urge a maritaca.
Desafia a paz do dia
a golpes de faca.“

„O sol envelhece.
pavio queima por um fio.
Verão que apodrece.“

„Quanto desafeto!
A palvra se deprava
frente ao alfabeto.“


„Numa pressa isana,
o jato divide em quatro
o azul-porcelana.“

„Festa chega ao fim.
Beijos sobram na bandeja.
Todos de amendoim!...“

„A estrela cadente
teima, se enrosca, se queima.
Quer o sol nascente.“

„Tempo destinado
a esfregar e descorar
nódoas do passado.“

„Não deixe portas entreabertas
Escancare-as
Ou bata-as de vez.
Pelos vãos, brechas e fendas
Passam apenas semiventos,
Meias verdades
E muita insensatez. (Calçada de Verão, Flora Figueiredo, Editora Nova Fronteira - Rio de Janeiro, 1989.)“