„A mulher só ama quando admira; para amar um homem precisa de se sentir inferior a ele.“

Última atualização 18 de Janeiro de 2019. História
Júlio Dantas photo
Júlio Dantas53
escritor português 1876 - 1962
Editar

Citações relacionadas

Oscar Wilde photo

„O homem tem a idade da mulher que ele ama.“

—  Oscar Wilde Escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa 1854 - 1900

Paolo Mantegazza photo

„A mulher pensa como ama, o homem ama como pensa“

—  Paolo Mantegazza 1831 - 1910

La donna pensa come ama, l' uomo ama come pensa.
Archivio per l'antropologia e l'etnologia , 1871

Remy de Gourmont photo

„O homem começa por amar o amor e acaba por amar uma mulher. A mulher começa por amar um homem e acaba por amar o amor.“

—  Remy de Gourmont 1858 - 1915

L'homme commence par aimer l'amour et finit par aimer une femme. La femme commence par aimer un homme et finit par aimer l'amour.
Promenades philosophiques‎ - v.3, Página 285, de Remy de Gourmont - Publicado por Mercure de France, 1925

Isadora Duncan photo
Jacques Brell photo

„Quando um homem não tem medo de dormir com uma mulher, não a ama.“

—  Jacques Brell 1929 - 1978

Quand un homme n'a pas peur de coucher avec une femme, c'est qu'il ne l'aime pas
citado em "Grand Jacques: le roman de Jacques Brel‎" - Página 92, de Marc Robine - Editions A. Carrière/Edtions du Verbe (Chorus), 1998, ISBN 2843370663, 9782843370663 - 670 páginas
Atribuídas

Honoré De Balzac photo
Charlie Chaplin photo

„Sobre mulheres: "Amo-as… porém não as admiro"“

—  Charlie Chaplin Comediante, ator e cineasta britânico 1889 - 1977

Frase do personagem Monsieur Verdoux, do filme de mesmo nome, um homem que se casa com mulheres ricas para depois assassiná-las e ficar com seu dinheiro. [2] p. 447
Citações em Filmes Falados

Jean de La Bruyere photo
Pierre Joseph Proudhon photo

„O homem pode amar o seu semelhante até ao ponto de morrer por ele; mas não o ama tanto que trabalhe em seu favor.“

—  Pierre Joseph Proudhon, livro Sistema de contradições econômicas

L’homme peut aimer son semblable jusqu’à mourir ; il ne l’aime pas jusqu’à travailler pour lui.
Philosophie de la misère, Pierre Joseph Proudhon, éd. Groupe Fresnes-Antony de la Fédération anarchiste, 1983, t. 1, chap. V, § I, p. 187 (texte integral no Wikisource)

Liev Tolstói photo

Tópicos relacionados