„Perda de tempo é você se lamentar por alguém que pertence ao seu passado.“

Última atualização 18 de Janeiro de 2019. História

Citações relacionadas

William Shakespeare photo

„Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente.“

—  William Shakespeare dramaturgo e poeta inglês 1564 - 1616

Variante: Lamentar uma dor passada, no presente,
é criar outra dor e sofrer novamente.

Bernard le Bovier de Fontenelle photo

„Tem muito tempo aquele que não o perde.“

—  Bernard le Bovier de Fontenelle 1657 - 1757

Celui qui ne perd pas de temps en a beaucoup.
Bernard le Bovier de Fontenelle, como citado em "Dictionnaire de maximes; ou, Choix de maximes, pensées, sentences, réflexions et définitions, extraites des moralistes et des écrivains tant anciens que modernes" - Página 473 http://books.google.com.br/books?id=L3o9AAAAYAAJ&pg=PA473, Joseph François Gabriel Hennequin - A.J. Kilian, 1828 - 520 páginas

Baltasar Gracián photo

„Quem confia em Jesus, não perde o seu tempo!“

—  José de Paiva Netto Escritor, radialista, educador brasileiro e atual presidente da Legião da Boa Vontade 1941

citado no artigo http://www.paivanetto.com/index.php/pt/artigo?cm=542&cs=100 "Apostando no Ser Humano"

Tati Bernardi photo
Kurt Cobain photo

„As coisas tem um brilho que com o tempo se perde“

—  Kurt Cobain Vocalista, guitarrista, compositor e músico 1967 - 1994

Baltasar Gracián photo
Napoleão Bonaparte photo
Auguste Rodin photo
Filipe, Duque de Edimburgo photo

„Aquele que imagina ser alguém perde a ocasião de converter-se em algo.“

—  Filipe, Duque de Edimburgo marido da rainha Isabel II e consorte do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte 1921

Aristoteles photo
Buda photo
Buda photo
George G. Byron photo

„Todos os tempos, quando passados, são bons“

—  George G. Byron 1788 - 1824

The "good old times" — all times, when old, are good
The Age of Bronze, in: "The Works of Lord Byron: Complete in One Volume", página 554 http://books.google.com.br/books?id=jxc3AAAAIAAJ&pg=RA1-PA554; Por George Gordon Byron Byron, Thomas Moore; Compilado por Thomas Moore; Publicado por John Murray, 1837; 827 páginas