„um incrível sentimento de poder". E completou: "Tudo o que antes te enchia o saco desaparece.“

Fonte: Sobre a heroína, Christiane nunca mostrou ressentimentos. Em 1980, falando à Playboy alemã, citada no site Terra.br em reportagem de Alec Duarte, numa quarta-feira, dia 11 de janeiro de 2006, às 13h41.

Obtido da Wikiquote. Última atualização 21 de Maio de 2020. História

Citações relacionadas

Chester Bennington photo
Friedrich Nietzsche photo
Albert Einstein photo
Antônio Fagundes photo
Luigi Pirandello photo

„Um fato é como um saco: vazio, não fica de pé. Para que fique de pé, é preciso pôr-lhe dentro a razão e o sentimento que o determinaram.“

—  Luigi Pirandello dramaturgo, poeta e romancista siciliano 1867 - 1936

But a fact is like a sack. When it's empty, it won't stand up. To make it stand up you must first pour into it the reasons and feelings by which it exists.
Pirandello's major plays - página 83, Luigi Pirandello - Northwestern University Press, 1991, ISBN 0810108666, 9780810108660 - 187 páginas
Frases

„Estou de saco cheio.“

—  Benedito Ruy Barbosa 1931

Benedito Ruy Barbosa, autor de 26 novelas, garantindo que Esperança é o seu último trabalho no gênero
Fonte: Revista ISTO É, Edição 1726.

Giovanni Papini photo

„Amor - Dupla satisfação da vaidade e do sentimento de poder.“

—  Giovanni Papini escritor italiano 1881 - 1956

Relatório sobre os Homens

Friedrich Nietzsche photo

„O Homem perde o poder, quando é contaminado pelo sentimento de piedade.“

—  Friedrich Nietzsche filósofo alemão do século XIX 1844 - 1900

Variante: O homem perde o poder quando é contagiado pelo sentimento de piedade.

Friedrich Nietzsche photo
Fernando Pessoa photo

„Querer não é poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há-de poder, porque se perde em querer.“

—  Fernando Pessoa poeta português 1888 - 1935

Livro do Desassossego I
Variante: Querer é não poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há-de poder, porque se perde em querer.

Tati Bernardi photo
George Herbert photo
Calderón de la Barca photo

„Não gosto de gente burra e puxa-saco“

—  Marlene Mattos 1950

Fonte: Revista IstoÉ Edição 1600

Tópicos relacionados