Frases de Thomas Szasz

Thomas Szasz foto
3  0

Thomas Szasz

Data de nascimento: 15. Abril 1920
Data de falecimento: 8. Setembro 2012
Outros nomes:Thomas Stephen Szasz

Publicidade

Thomas Stephen Szasz, em húngaro Szász Tamás István , foi um psiquiatra e acadêmico húngaro, residente nos Estados Unidos. Desde 1990 foi Professor Emérito de psiquiatria do Health Science Center da Universidade do Estado de Nova Iorque , em Syracuse.

Szasz foi uma figura proeminente entre os adversários da psiquiatria coercitiva e um conhecido crítico social dos fundamentos morais e científicos da psiquiatria e dos objetivos de controlo social da medicina na sociedade moderna, bem como do cientificismo, que considera como uma espécie de secularização da religião. Ele é bem conhecido por seus livros, O Mito da Doença Mental e A Fabricação da Loucura: Um Estudo Comparativo da Inquisição e do Movimento de Saúde Mental , que definem alguns dos seus principais argumentos.

Sua concepção sobre o tratamento especial é uma consequência de suas raízes no liberalismo clássico, baseadas nos princípios de que cada pessoa tem o direito ser dona de seu corpo e mente e de não sofrer violência dos outros, embora tenha criticado tanto o chamado "mundo livre" como os estados comunistas, por sua utilização de psiquiatria, e pela "drogofobia". Segundo Szasz, o suicídio, a prática da medicina, o uso e a venda de drogas, assim como as relações sexuais, devem ser privados, contratuais e fora da jurisdição do Estado.

Em 1970, Szasz fundou, juntamente com George Alexander e Erving Goffman, a American Association for the Abolition of Involuntary Mental Hospitalization , com o objetivo de abolir a intervenção psiquiátrica involuntária. A organização foi dissolvida em 1980.

Em 1973, foi eleito "Humanista do Ano" pela American Humanist Association.

Szasz começou a criticar o uso da expressão 'doença mental' como um conceito legal em 1958 em um artigo publicado na Columbia Law Review. No artigo, argumenta que 'doença mental' denota uma teoria e não um fato. Portanto, não é mais nem menos factual do que seria acusar alguém de estar possuído pelo demônio. Em 1961, Szasz testemunha perante um comité do Senado dos Estados Unidos que o uso de hospitais psiquiátricos para encarcerar pessoas definidas como doentes mentais violava as premissas do relacionamento entre paciente e médico e transformava o médico em um guarda de prisão, um carcereiro.

Em Antipsychiatry: Quackery Squared, Szasz rejeita a sua vinculação, tanto à psiquiatra quanto à antipsiquiatria.

Inspirou o sobrenome do personagem Victor Szasz da DC Comics.

Citações Thomas Szasz

Publicidade

„The stupid neither forgive nor forget; the naïve forgive and forget; the wise forgive but do not forget.“

— Thomas Szasz
[http://books.google.com/books?id=IYOcAQAAQBAJ&q=%22The+stupid+neither+forgive+nor+forget+the+na%C3%AFve+forgive+and+forget+the+wise+forgive+but+do+not+forget%22&pg=PA177#v=onepage "Personal Conduct"], [http://openlibrary.org/works/OL15151528W/The_Second_Sin p. 51.]

Publicidade
Publicidade
Próximo