Frases de Mira Alfassa

Mira Alfassa photo
0   0

Mira Alfassa

Data de nascimento: 21. Fevereiro 1878
Data de falecimento: 17. Novembro 1973

Publicidade

Artista e musicista francesa, continuadora do trabalho de Sri Aurobindo, organizou e conduziu a comunidade do Sri Aurobindo Ashram. Realizando na prática a visão do Mestre, formulou os princípios de uma Educação Integral. Em seus últimos anos, vivenciou e descreveu processos de transformação do corpo físico, descobrindo e experienciando a Consciência Celular e sua abertura e permeação pela consciência mais alta, assim desbravando um caminho para a supramentalização integral do ser.

Esteve na Índia em 1914, quando conheceu Sri Aurobindo. Retornou à França durante a 1ª Guerra Mundial e voltou definitivamente à Índia em 1920, criando juntamente com Sri Aurobindo o "Sri Aurobindo Ashram". Em 1924, com a retirada de Sri Aurobindo a um aposento do Ashram, A Mãe tomou a direção prática da comunidade, que conduziu até sua morte. A Mãe ocupou-se em explicar o pensamento de Aurobindo aos discípulos em termos simples, ocupou-se em orientar e coordenar as diversas atividades do Ashram, e também a desenvolver um trabalho interior na busca dos ideais de Sri Aurobindo. Deixou também muitos trabalhos escritos, resultados também de suas vivências interiores.

Notas Biográficas

Nascida em Paris em 21 de fevereiro de 1878, filha de mãe egípcia e pai turco, ambos materialistas inflexíveis. Completou estudos de piano, pintura e matemática avançada. Em seus primeiros anos, experiências espontâneas levaram-na a viagens fora de seu corpo, para o passado da terra, e sem sua compreensão, levaram-na à descoberta de "vidas passadas". Em 1897, com 19 anos, casou-se com Henri Morriset, um estudante do artista francês Gustave Moreau, e tornou-se amiga de Rodin e também de todos os grandes artistas do período impressionista. Com a idade de 26 anos, ela teve diversos sonhos com Sri Aurobindo – de quem nunca tinha ouvido falar – e tomou-o como uma "divindade Hindu". Mais tarde fez contato com Max Theon, um caráter enigmático com poderes ocultos extraordinários, o qual pela primeira vez deu a ela uma explicação coerente de suas experiências e lhe ensinou ocultismo durante duas longas visitas à Argélia. Em 1908, com 30 anos, divorciou-se de Morisset e mergulhou no estudo de filosofia com Paul Richard, com quem em 1910 visitou Pondicherry, uma colônia francesa na Índia onde Sri Aurobindo buscou refúgio dos britânicos. Ela acompanhou Richard a Podicherry em 1914 e encontrou Sri Aurobindo pela primeira vez em 29 de março: "Ele, a quem nós vimos ontem, está na terra".

Ela passou um ano em Pondicherry, e então quatro anos no Japão com Richard. Retornou a Sri Aurobindo em 1920, passando pela China. Quando Sri Aurobindo "retirou-se" para seu quarto em 1926, para devotar-se exclusivamente ao "yoga supramental", ela organizou e desenvolveu o "Ashram" a partir do nada.

Depois da partida de Sri Aurobindo em 1950, ela fundou o "Centro Internacional de Educação" e, no decorrer de muitos anos e incontáveis conversas com seus discípulos, tentou despertá-los para a "nova consciência". Finalmente, em 1958 ela retirou-se para seu quarto para chegar à raiz do problema: o "yoga das células" que levou-a à descoberta de uma "mente celular" capaz de reestruturar a natureza do corpo. De 1958 a 1973, ela lentamente desvelou a "Grande Passagem" para a próxima espécie e um novo modo de vida na Matéria. Esta é a Agenda . Em 1968 ela fundou Auroville, a poucas milhas de Pondicherry, como um "laboratório para a nova evolução".

Em 17 de novembro de 1973 A Mãe deixou o corpo.

Citações Mira Alfassa

„O Lord, this earth groans and suffers; chaos has made this world its abode. The darkness is so great that Thou alone canst dispel it. Come, manifest Thyself, that Thy work may be accomplished. Solitude, a harsh, intense solitude, and always this strong impression of having been flung headlong into an inferno of darkness! … Sometimes … I cannot prevent my total sub-mission from taking a hue of melancholy, and the calm and mute converse with the Master within is transformed for a moment into an invocation almost suppliant, O Lord, what have I done that Thou throwest me thus into the sombre night?“

—  The Mother
Her entry in her diary when she left Pondicherry and on the tumultuous developments in the world for the War, quoted in "Diary notes and Meeting with Sri Aurobindo" and also in IV. Diary Notes And Meeting With Sri Aurobindo http://www.motherandsriaurobindo.org/Content.aspx?ContentURL=/_staticcontent/sriaurobindoashram/-04%20Centers/India/Pondicherry/Sri%20Aurobindo%20Society/Wilfried/The%20Mother%20-%20A%20Short%20Biography/007_Diary%20Notes%20and%20Meeting%20with%20Sri%20Aurobindo.htm, p. 21

Publicidade
Publicidade

„It matters little that there are thousands of beings plunged in the densest ignorance; He whom we saw yesterday is on earth; his presence is enough to prove that a day will come when darkness shall be transformed into light, and Thy reign shall actually be established upon earth.“

—  The Mother
When she met Sri Aurobindo for the first time with her husband Richards at rue Fransçois Martin at Pondicherry, quoted in "Diary notes and Meeting with Sri Aurobindo", and also in Biblio, Volume 3 Asia-Pacific Communication Associates, (1998) http://books.google.co.in/books?id=tC9VAAAAYAAJ, p. 33

„The life we lead here is as far from ascetic abstinence as from an enervating comfort; simplicity is the rule here, but a simplicity full of variety, a variety of occupations, of activities, tasks, tendencies, natures; each one is free to organise his life as he pleases, the discipline is reduced to a minimum that is indispensable to organize the existence of 110 to 120 people and to avoid the movements which would be detrimental to the achievement of our yogic aim.“

—  The Mother
In The Formation Of The Ashram http://www.searchforlight.org/Sriaurobindo_Ashram1.htm, also in VII. The Formation of The Ashram http://www.sriaurobindoashram.com/Content.aspx?ContentURL=/_StaticContent/SriAurobindoAshram/-04%20Centers/India/Pondicherry/Sri%20Aurobindo%20Society/Wilfried/The%20Mother%20-%20A%20Short%20Biography/-010_The%20Formation%20of%20the%20Ashram.htm pp.39-40

„I was on the boat, at sea, not expecting anything (I was of course busy with the inner life, but I was living physically on the boat), when all of a sudden, abruptly, about two nautical miles from Pondicherry, the quality, I may even say physical quality, of the atmosphere of the air, changed so much that I knew we were entering the aura of Sri Aurobindo. It was a physical experience.“

—  The Mother
On her return to Pondicherry in April 1920 accompanied by an English lady, Miss Dorothy Hodgeson, after she had refused an offer by Rabindranath Tagore to take charge of Shantiniketan, his educational institute, quoted in "Japan (1916-20)", in [ Chapter 14 Second Coming, K R Srinivas Iyengar http://sriaurobindoashram.com/Content.aspx?ContentURL=_staticcontent/sriaurobindoashram/-09%20e-library/-03%20Disciples/K%20R%20Srinivas%20Iyengar/On%20The%20Mother/-16_Second%20Coming.htm, p. 202

Publicidade

„I started contemplating or doing my Yoga from the age of 4. There was a small chair for me on which I used to sit still, engrossed in my meditation. A very brilliant light would then descend over my head and produce some turmoil inside my brain. Of course I understood nothing, it was not the age for understanding. But gradually I began to feel, "I shall have to do some tremendously great work that nobody yet knows."“

—  The Mother
In Birth and Girlhood http://www.searchforlight.org/TheMother_lifeSketch1.htm, during her childhood days in when she was aware of her special purpose of life, her mission on earth, and also in On the Mother Divine by Pasupati Bhattacharya (1968) http://books.google.co.in/books?id=1loqAAAAYAAJ, p. 10

Próximo