Frases de Mary Wollstonecraft

Mary Wollstonecraft foto

1   0

Mary Wollstonecraft

Data de nascimento: 27. Abril 1759
Data de falecimento: 10. Setembro 1797
Outros nomes: Mary Wollstonecraftová

Mary Wollstonecraft foi uma escritora inglesa do século XVIII, assim como filósofa e defensora dos direitos das mulheres. Durante sua breve carreira, escreveu romances, tratados, uma narrativa de viagem, uma história da Revolução Francesa, um livro de boas maneiras, e livros infantis. O trabalho mais conhecido de Mary Wollstonecraft é Uma defesa dos direitos da mulher , no qual ela argumenta que as mulheres não são, por natureza, inferiores aos homens, mas apenas aparentam ser por falta de educação e escolaridade. Ela sugere que tanto os homens como as mulheres devem ser tratados como seres racionais, e concebe uma ordem social baseada na razão.

Até ao final do século XX, a vida pessoal de Wollstonecraft, que incluiu vários relacionamentos inconvencionais, foi alvo de mais atenção do que seus trabalhos. Depois de dois relacionamentos fracassados, com Henry Fuseli e Gilbert Imlay , Wollstonecraft casou-se com o filósofo William Godwin, um dos precursores do movimento anarquista. Wollstonecraft morreu aos 38 anos de idade, dez dias após dar à luz sua segunda filha, deixando vários manuscritos inacabados. Sua filha − Mary Wollstonecraft Godwin − também se tornaria escritora, com o nome de Mary Shelley, a autora de Frankenstein.

Depois da morte de Mary Wollstonecraft, seu marido publicou uma Memória de sua vida, revelando seu estilo de vida menos ortodoxo, que lhe destruiu a reputação por quase um século. Contudo, com o advento do movimento feminista no virar do século XX, a defesa de Wollstonecraft pela igualdade das mulheres, e suas críticas à feminilidade convencional, ganharam cada vez mais importância. Nos dias de hoje, Wollstonecraft é considerada uma das fundadoras do feminismo filosófico, e é comum que feministas citem tanto sua vida, como sua obra, como influências importantes.


„Nenhum homem escolhe o mal por ser o mal; mas apenas por confundi-lo com felicidade.“

Autores parecidos