Frases de Francisco de Oliveira

3  0

Francisco de Oliveira

Data de nascimento:7. Novembro 1933

Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira, mais conhecido como Chico de Oliveira é um sociólogo brasileiro, doutor por notório saber pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores.

Graduado em Ciências Sociais na Faculdade de Filosofia da Universidade do Recife, atual Universidade Federal de Pernambuco, pertenceu aos quadros técnicos do Banco do Nordeste e da Sudene , onde trabalhou com Celso Furtado. Após o golpe de 1964, ficou preso por dois meses. Posteriormente, deixou a cidade do Recife e "exilou-se" no Rio de Janeiro

Professor aposentado de Sociologia do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo , ingressou no Cebrap em 1970, a convite de Octavio Ianni.

No PT, integrou 1ª Diretoria Executiva da Fundação Wilson Pinheiro - fundação de apoio partidária instituída pelo PT em 1981, antecessora da Fundação Perseu Abramo. Coordenador-executivo do Centro de Estudos dos Direitos da Cidadania — Cenedic — da USP, deixou o Partido dos Trabalhadores e filiou-se ao PSoL .

Em 2003, ano em que deixou o PT, Francisco de Oliveira disse que Lula nunca foi de esquerda. Já nas eleições de 2010 afirmou:

"Lula é mais privatista que FHC. Privatista numa escala que o Brasil nunca conheceu."

Em 25 de agosto de 2006, foi-lhe concedido o título de doutor honoris causa na Universidade Federal do Rio de Janeiro, por iniciativa do Instituto de Economia da UFRJ. Em 28 de agosto de 2008, o de professor emérito pela FFLCH-USP. Em 22 de novembro de 2010, o de doutor honoris causa na Universidade Federal da Paraíba

Foi candidato a reitor da USP, representando a chapa de oposição. Contudo, não poderia se eleger segundo o estatuto da Universidade, pois é aposentado. Ele reconhece, contudo, que o problema da USP se explica mais pelo "anacronismo de suas regras estatutárias e legais, e menos pela má qualidade de seus gestores" e é forte crítico do estatuto disciplinar da Universidade, que ele avalia como sendo uma herança do período ditatorial. Também defende a autonomia universitária e seu caráter de conquista popular, posicionando contra o corte ou "deslocamento" de verbas públicas: "isso é conversa de economista liberal".

Citações Francisco de Oliveira