Frases do livro
As Consequências Económicas da Paz

John Maynard KeynesTítulo original The Economic Consequences of the Peace (Inglês Britânico, 1919)

As Consequências Económicas da Paz é uma obra de John Maynard Keynes escrita e publicada em 1919. Keynes participou da Conferência de Paz de Paris como representante do Tesouro britânico e foi defensor duma paz muito mais generosa. O livro teve um grande sucesso em todo o mundo e foi fundamental para criar a opinião geral de que o Tratado de Versalhes estabelecia condições rapaces para os derrotados. Ajudou a consolidar a opinião pública americana contra o Tratado e o envolvimento na Sociedade das Nações. A percepção, por sua vez, por grande parte do público britânico de que a Alemanha tinha sido tratada injustamente foi um fator crucial no apoio público à política de apaziguamento de antes da II Guerra Mundial. O sucesso do livro estabeleceu a reputação de Keynes como um dos principais economistas especialmente à esquerda. Quando participou como elemento chave no estabelecimento do sistema de Bretton Woods em 1944, Keynes teve presente as lições de Versalhes, bem como as da Grande Depressão. O Plano Marshall após a II Guerra Mundial é um sistema semelhante ao proposto por Keynes em As Consequências Económicas da Paz.


John Maynard Keynes photo

„Lenin disse que a melhor forma de destruir o sistema capitalista era corromper o dinheiro. Por um processo contínuo de inflação, governos podem confiscar, sem serem observados, uma parte importante da riqueza de seus cidadãos.“

—  John Maynard Keynes, livro As Consequências Económicas da Paz

Lenin is said to have declared that the best way to destroy the capitalist system was to debauch the currency. By a continuing process of inflation, governments can confiscate, secretly and unobserved, an important part of the wealth of their citizens. By this method they not only confiscate, but they confiscate arbitrarily; and, while the process impoverishes many, it actually enriches some. The sight of this arbitrary rearrangement of riches strikes not only at security, but at confidence in the equity of the existing distribution of wealth. Those to whom the system brings windfalls, beyond their deserts and even beyond their expectations or desires, become 'profiteers,' who are the object of the hatred of the bourgeoisie, whom the inflationism has impoverished, not less than of the proletariat. As the inflation proceeds and the real value of the currency fluctuates wildly from month to month, all permanent relations between debtors and creditors, which form the ultimate foundation of capitalism, become so utterly disordered as to be almost meaningless; and the process of wealth-getting degenerates into a gamble and a lottery.
The Economic Consequences of the Peace

John Maynard Keynes photo

„Imaginar que exista algum mecanismo de ajuste automático e funcionamento perfeito que preserve o equilíbrio, bastando para isso que confiemos nas práticas do laissez-faire é uma fantasia doutrinária que desconsidera as lições da experiência histórica sem apoio em uma teoria sólida.“

—  John Maynard Keynes, livro As Consequências Económicas da Paz

'Lenin was certainly right. There is no subtler, no surer means of overturning the existing basis of society than to debauch the currency. The process engages all the hidden forces of economic law on the side of destruction, and does it in a manner which not one man in a million is able to diagnose.
The Economic Consequences of the Peace
Fonte: The Economic Consequences of the Peace (1919), Chapter 6; veja texto integral no wikisource