Frases de Rodolfo Bottino

3   0

Rodolfo Bottino

Data de nascimento: 11. Fevereiro 1959
Data de falecimento: 11. Dezembro 2011

Rodolfo Bottino foi um ator brasileiro de cinema, teatro e televisão. Tornou-se conhecido no papel de Lauro na minissérie Anos Dourados, produzida pela Rede Globo de Televisão e exibida em 1986.

No cinema Rodolfo Bottino fez o personagem Joaquim Silvério dos Reis em Tiradentes de Oswaldo Caldeira, trabalhou em Benjamim de Monique Gardenberg e como apresentador no documentário de longa-metragem Pampulha ou a invenção do mar de Minas de Oswaldo Caldeira.

Bottino escreveu e encenou peças e fez programas de televisão como Chef de cozinha, sobre culinária, inclusive no canal Shoptime.

Rodolfo era primo de José Paolo Bottino e também do falecido ator Alexandre Lippiani.

Ao completar 50 anos, revelou estar com o vírus HIV desde o início da década de 1990, ter amado homens e mulheres e resolvido contar sobre suas experiências, esperando que ajudasse outras pessoas a sair do armário e lutar contra o preconceito.

Seu último trabalho como ator foi uma participação especial no filme O Homem do Futuro, dirigido por Cláudio Torres e lançado em 2011.

Morreu em 11 de dezembro de 2011, aos 52 anos em um hospital de Salvador, vítima de embolia pulmonar ocorrida durante um exame de ressonância magnética.


„Eu adoro viver. Apesar de viver ser uma merda, é bom pra cacete.“

„Eu acho que é bacana ser gordo na adolescência porque aí a gente puxa pra cá [apontando a cabeça], puxa pra inteligência. Tem que ler, tem que saber as coisas, já que o corpo não vai comer ninguém.“

„Eu falo de vida, de vida! (...) Existia uma morte dentro de mim, agora não existe mais dentro de mim. Ela está aqui do lado, mas dentro de mim ela não está mais.“

Autores parecidos