Frases de Marcelo D2

Marcelo D2 foto

10   0

Marcelo D2

Data de nascimento: 5. Novembro 1967

Marcelo Maldonado Peixoto, mais conhecido como Marcelo D2. é um rapper brasileiro, vocalista da banda Planet Hemp, que hoje segue em carreira solo e em projeto paralelo com a volta da banda Planet Hemp. Célebre por misturar o samba com a black music, fez várias parcerias com artistas de outros gêneros, como o axé music, e com pessoas que fazem batidas de música eletrônica com a boca, popularmente conhecido como beatbox. Atualmente, um de seus principais parceiros em shows e turnês, é Fernandinho BeatBox, o qual, faz alguns efeitos em suas músicas, e sempre é chamado ao palco, para animar o público, com seus hits. Seu apelido é uma alusão ao ato de fumar maconha, "D2" é uma gíria que significa dar duas tragadas em um cigarro de maconha.

Marcelo D2 surgiu na música brasileira em 1995, com o disco de estreia do Planet Hemp, "Usuário". Uma estreia que mostrou pela primeira vez as virtudes de um autêntico hip hop made in Brasil. O som era pesado, cercado de brasilidade, carioquice e com letras que discutiam a discriminação da maconha e a liberdade de expressão. O segundo CD, "Os Cães Ladram mas a Caravana Não Pára", de 1996 já tinha uma temática mais abrangente, com uma visão social do Rio de Janeiro, das chacinas e da polícia. O disco também já sinalizava novos rumos. Em "Hip Hop Rio", por exemplo, D2 canta "Sou do samba/ Sou do reggae/ Sou do soul/ Mas também sou do hip hop". Há ainda a bossa nova que antecede "100% hardcore" e a regravação de "Nega do Cabelo Duro". O cerco sobre a temática hemp foi se fechando. O Planet chegou a ficar encarcerado por uma semana em Brasília.

Em 1998, Marcelo deu um tempo do grupo com "Eu Tiro É Onda", mostrando a na mistura de samba e hip-hop. Esta fusão, porém, só seria reconhecida e consagrada em 2003, com o lançamento de "A Procura da Batida Perfeita", primeiro álbum de D2 em carreira solo. Entre os dois discos solo de D2, o Planet Hemp ainda lançou, em 2000, "A Invasão do Sagaz Homem Fumaça" e um "MTV ao Vivo: Planet Hemp", em 2001. Em 2004, D2 lançou mais um projeto de sucesso, o CD e DVD Acústico MTV. Seu terceiro disco solo, "Meu Samba É Assim", de letras autobiográficas, tem além do samba e do hip hop uma diversidade de influências de diferentes vertentes do rap.

Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Marcelo D2 em 73° lugar.



„Tô escrevendo, compondo e fumando maconha. Passo o dia todo em casa. Tô com calo de muleta num lado da mão e no outro, calo do videogame“

„Caetano Veloso deu o maior vexame. Ainda tentei conversar, mas ele ficou dando uns gritinhos.“


„Meu trabalho é minha diversão. Trabalho bebendo cerveja e fumando maconha.“

„Quem não vende nada não é independente. É fracassado mesmo“

„Quando ele pedir, apertarei um baseado para ele“

„Se maconha já me causou perda de memória? Não que eu me lembre...“

„Depois a gente é que é favelado, maconheiro e mal-educado.“

„Confio mais em bandido do que em polícia.“


„Esse negócio de maconha é puro marketing. Eu curto mesmo é uma cervejinha.“

„A gente tem uma polícia corrupta. Todo mundo tem culpa nisso. O usuário também.“

Autores parecidos