Frases de Madalyn Murray O'Hair

Madalyn Murray O'Hair photo
0  0

Madalyn Murray O'Hair

Data de nascimento: 13. Abril 1919
Data de falecimento: 29. Setembro 1995

Publicidade

Madalyn Murray O'Hair foi uma advogada e ativista ateísta americana; uma das fundadoras da American Atheists e sua presidente de 1963-1986. Ela criou os primeiros números de American Atheist Magazine. Um de seus filhos, Jon Garth Murray, foi o presidente da entidade de 1986 a 1995, enquanto ela permanecia de facto presidente durante esses nove anos. Ela é mais conhecida pela ação judicial Murray v Curlett, o que levou a um marco decisivo da Suprema Corte terminando a leitura oficial da Bíblia em escolas públicas americanas em 1963. Isto veio apenas um ano depois da Suprema Corte proibindo oficialmente a oração patrocinada nas escolas no caso Engel v Vitale. Depois que ela fundou a American Atheists e venceu Murray v Curlett, ela conseguiu a atenção na medida em que, em 1964, a revista Life se referiu a ela como "a mulher mais odiada da América".Em 1995, ela foi sequestrada, assassinada e mutilada, juntamente com seu filho Jon Murray e neta Robin Murray O'Hair, pelo ex-gerente do escritório americano ateu David Roland Waters.

Citações Madalyn Murray O'Hair

Publicidade

„Marx was wrong--religion is not the opiate of the masses, baseball is.“

— Madalyn Murray O'Hair
Quoted without citation by Nathaniel J. Ehrlich, Psychology and contemporary affairs, p. 78 (1972)

„One could call this a postnatal abortion on the part of a mother, I guess; I repudiate him entirely and completely for now and all times.... He is beyond human forgiveness.“

— Madalyn Murray O'Hair
Quoted without citation by Ted Dracos, UnGodly: The Passions, Torments, and Murder of Atheist Madalyn Murray O'Hair (2003), on her son William's rejection of atheism and conversion to Christianity and new calling as a traveling evangelist.