Frases de Lúcio Cornélio Sula

Lúcio Cornélio Sula foto
0  0

Lúcio Cornélio Sula

Data de nascimento: 138 a.C.
Data de falecimento: 78 a.C.

Publicidade

Lúcio Cornélio Sula , conhecido simplesmente como Sula, foi um militar e estadista da gente Cornélia da República Romana eleito cônsul por duas vezes, em 88 e 80 a.C., com Quinto Pompeu Rufo e Quinto Cecílio Metelo Pio respectivamente. Foi também eleito ditador em 82 a.C., o primeiro desde o final do século III a.C.. O agnome "Félix" foi adotado já no final de sua carreira, principalmente por sua lendária sorte como general. Ele é por vezes chamado de Sila, provavelmente uma corruptela de uma forma epigráfica "SVILLA", passível de ser derivada em ambas as formas. Em sua época, seu nome provavelmente se pronunciava "Siula".

Foi sem dúvida um dos mais importantes políticos e militares de seu tempo, um dos líderes da facção dos optimates. Depois de se destacar na Guerra contra Jugurta, na Guerra Címbrica e na Guerra Social, as tentativas de Caio Mário de removê-lo do comando do exército que seguia para combater Mitrídates VI do Reino do Ponto o levaram a marchar contra a própria Roma para restaurar o status quo anterior pela força das armas, a primeira vez em toda a história que um exército romano invadiu a cidade. Depois de conseguir recuperar o controle da guerra, Sula deixou a cidade sob o comando de um cônsul da facção dos populares, de Mário, e um outro optimate, Cneu Otávio, partindo para o Oriente. Porém, logo em seguida Mário retornou e, com seu aliado Cina, deu um golpe de estado, mas morreu logo em seguida. Cina instaurou um governo autocrático de três anos entre 87 e 84 a.C., perseguindo todos os aliados de Sula.Sula, por sua vez, concluiu a guerra no Oriente, obrigado Mitrídates VI a assinar a Paz de Dárdanos . Sua volta à Itália precipitou a Primeira Guerra Civil , na qual ele derrotou os líderes populares Cneu Papírio Carbão e Caio Mário, o Jovem, que estavam no comando das rendas estatais, enquanto um terceiro rebelde, Quinto Sertório, conseguiria resistir ainda por muitos anos aos partidários de Sula na Hispânia.

Sua vitória foi seguida uma ditadura do próprio Sula, na qual ele perseguiu sistematicamente seus inimigos, estabelecendo uma ambiciosa obra legislativa para conseguir restaurar o funcionamento das instituições republicanas. Finalmente, cumpridos estes objetivos, Sula abandonou o poder e voltou a ser um simples cidadão.

Por tudo isto, Sula é considerado um dos romanos antigos mais extraordinários, apesar de moralmente ambíguo. Político sagaz e habilidoso general, sua carreira reflete fielmente sua época: foi um dos últimos defensores da legalidade constitucional romana, mas também um dos principais responsáveis pelo fim da República. Historiadores posteriores se dividir ao julgar seu legado, considerado por alguns como um monstro sanguinário e muito elogiado por outros por suas habilidades políticas.

Citações Lúcio Cornélio Sula

„I forgive the many for the sake of the few, the living for the dead.“

— Lucius Cornelius Sulla
On calling an end to the sacking of Athens, after a plea on its behalf by two Athenians loyal to Rome, as quoted in The Story of Rome : From the Earliest Times to the Death of Augustus (1900) by Mary Macgregor; also said to be in a translation of Plutarch's works.

„No friend ever served me, and no enemy ever wronged me, whom I have not repaid in full.“

— Lucius Cornelius Sulla
His self-made epitaph, as quoted in Heroes of History : A Brief History of Civilization from Ancient Times to the Dawn of the Modern Age (2001) by Will Durant; variant translation: "...nor enemy harmed me"

Publicidade

„He ought to have worked at the oar before steering the vessel.“

— Lucius Cornelius Sulla
Upon being handed the head of his enemy Gaius Marius the Younger[http://www.perseus.tufts.edu/hopper/text?doc=Perseus%3Atext%3A1999.04.0104%3Aalphabetic+letter%3DM%3Aentry+group%3D10%3Aentry%3Dmarius-bio-2] (Also translated as: "First you must learn to pull an oar, only then can you take the helm")

„How is this? Ought not the petitioner to speak first, and the conqueror to listen in silence?“

— Lucius Cornelius Sulla
To Mithridates VI of Pontus, at a peace conference, as quoted in "[http://classics.mit.edu/Plutarch/sylla.html Sylla]" by Plutarch in Plutarch's Lives as translated by John Dryden