Frases de Clemente de Alexandria

Clemente de Alexandria foto
1  0

Clemente de Alexandria

Data de nascimento: 150
Data de falecimento: 215
Outros nomes:Kléméns Alexandrijský,Klemens von Alexandria,Clemens von Alexandrien

Publicidade

Clemente de Alexandria ou Tito Flávio Clemente foi um escritor, teólogo, apologista cristão grego nascido em Atenas.

Pesquisou as lendas menos compatíveis com os valores cristãos. Sua abertura a fontes familiares aos não cristãos ajudou a tornar o cristianismo mais aceitável para muitos deles.

Clemente foi um erudito numa época em que os cristãos eram geralmente pouco letrados. Não obstante, foi capaz de construir argumentos lógicos convincentes, baseados nas escrituras e na filosofia, a favor do cristianismo e contra os gnósticos de Valentim, que, baseados em Alexandria - o mais importante centro de atividade intelectual da época - estavam em plena expansão.

Defendeu a fraternidade e a repartição das riquezas entre os homens, observado livre-arbítrio:

“Deus criou o gênero humano para a comunicação e a comunhão de uns com os outros, como ele, que começou a repartir do seu e a todos os homens proveu seu Logos comum, e tudo fez por todos. Logo tudo é comum, e não pretendam os ricos ter mais que os outros. Da homilia Quis dives salvetur? , baseada na história de Jesus e o jovem rico .

"De sorte que não é rico aquele que possui e guarda mas aquele que dá; e este dar, não o possuir, faz o homem feliz. Portanto, o fruto da alma é essa prontidão em dar. Logo na alma está o ser rico." .

O historiador Eusébio de Cesareia considerava Clemente um incomparável mestre da filosofia e, para São Jerônimo, Clemente foi o mais erudito dos Padres da Igreja.

Citações Clemente de Alexandria

Publicidade

„To me, therefore, that Thracian Orpheus, that Theban, and that Methymnaean,--men, and yet unworthy of the name,--seem to have been deceivers, who, under the pretence of poetry corrupting human life, possessed by a spirit of artful sorcery for purposes of destruction, celebrating crimes in their orgies, and making human woes the materials of religious worship, were the first to entice men to idols; nay, to build up the stupidity of the nations with blocks of wood and stone,--that is, statues and images,--subjecting to the yoke of extremest bondage the truly noble freedom of those who lived as free citizens under heaven by their songs and incantations. But not such is my song, which has come to loose, and that speedily, the bitter bondage of tyrannizing demons; and leading us back to the mild and loving yoke of piety, recalls to heaven those that had been cast prostrate to the earth. It alone has tamed men, the most intractable of animals; the frivolous among them answering to the fowls of the air, deceivers to reptiles, the irascible to lions, the voluptuous to swine, the rapacious to wolves. The silly are stocks and stones, and still more senseless than stones is a man who is steeped in ignorance. As our witness, let us adduce the voice of prophecy accordant with truth, and bewailing those who are crushed in ignorance and folly: "For God is able of these stones to raise up children to Abraham;" and He, commiserating their great ignorance and hardness of heart who are petrified against the truth, has raised up a seed of piety, sensitive to virtue, of those stones--of the nations, that is, who trusted in stones. Again, therefore, some venomous and false hypocrites, who plotted against righteousness, he once called "a brood of vipers." But if one of those serpents even is willing to repent, and follows the Word, he becomes a man of God.“

— Clement of Alexandria

Publicidade
Publicidade
Próximo