Frases de Alphonsus de Guimaraens

Alphonsus de Guimaraens foto
3  2

Alphonsus de Guimaraens

Data de nascimento: 24. Julho 1870
Data de falecimento: 15. Julho 1921

Publicidade

Alphonsus de Guimaraens, pseudônimo de Afonso Henrique da Costa Guimarães foi um escritor brasileiro.

A poesia de Alphonsus de Guimaraens é marcadamente mística e envolvida com religiosidade católica. Seus sonetos apresentam uma estrutura clássica, e são profundamente religiosos e sensíveis na medida em que explora o sentido da morte, do amor impossível, da solidão e da inadaptação ao mundo.

Contudo, o tom místico imprime em sua obra um sentimento de aceitação e resignação diante da própria vida, dos sofrimentos e dores. Outra característica marcante de sua obra é a utilização da espiritualidade em relação à figura feminina, que é considerada um anjo, ou um ser celestial. Alphonsus de Guimaraens é simultaneamente neo-romântico e simbolista.

Sua obra, predominantemente poética, consagrou-o como um dos principais autores simbolistas do Brasil. Traduziu também poetas como Stephane Mallarmé, em referência à cidade em que passou parte de sua vida, é também chamado de "o solitário de Mariana", a sua "torre de marfim do Simbolismo".

Sua poesia é quase toda voltada para o tema da Morte da Mulher amada.

Embora preferisse o verso decassílabo, chegou a explorar outras métricas, particularmente a redondilha maior .

Citações Alphonsus de Guimaraens

„Tem cheiro a luz, a manhã nasce...
Oh sonora audição colorida do aroma!“

— Alphonsus de Guimaraens
Poesias: sonetos da ausência nostalgica dos anjos‎, de Alphonsus de Guimaraens