AndreRodriguesCostaOliveira

Autor verificado @AndreRodriguesCostaOliveira, membro de 19 de Fevereiro de 2021

Andre Rodrigues Costa Oliveira: Advogado, consultor, escritor, filósofo e docente universitário. Membro Imortal e Conselheiro da ALACH - Academia Latino-Americana de Ciências Humanas;

Especialista em administração e negócios pelo instituto COPPEAD (UFRJ); Doutorando em Direito Público pela Universidad Catolica Argentina - UCA; Presidente da Comissão de Direito Eleitoral da Rede Internacional de Excelência Jurídica no Distrito Federal - RIEX/DF; Diretor jurídico do Instituto Brasiliense de Desenvolvimento Econômico e Sustentável do DF - IBRADES; Diretor de Direito Eleitoral do Sindicato dos Advogados do Distrito Federal; Árbitro do Instituto Sensatus, atuando em mediações de conflitos internacionais de grande porte. Comendador homenageado com o título de “amigo da magistratura” pelo Instituto dos Magistrados do Brasil e pela International Police Association - IPA. Condecorado com a Soberana Ordem Dom Pedro I e a Soberana Ordem Ruy Barbosa pela Academia Nacional de Artes e Direito Social - ANADES; Laureado com a Comenda da Ordem Grã-Cruz - Tiradentes também pela ANADES; Colaborador da Sociedade dos Diplomatas No Brasil - SDB e do Grupo de Defesa da Amazônia (GDA). Idealizador do XVII Greenmeeting of The Americas, evento internacional voltado à discussão de soluções em desenvolvimento sustentável.

Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo

„VOCÊ É MÚSICA

Nos dias em que você acorda rock você é contestadora e demolidora de muralhas altas, que até então julgavam-se intransponíveis.
Você é caveira, que iguala, no final da vida, a todos os seres humanos do planeta.

Nos dias em que você acorda Jazz você é puro improviso, a elegância de fraseados únicos, e que jamais serão tocados da mesma maneira - já que você própria é única e inimitável.
Você cozinha Miles Davis com Chet Baker, e tempera tudo com as vozes da Sarah, da Ella e da Billie, e assim finalizando fabuloso prato.

Nos dias em que você acorda Blues você sente a melancolia em estado bruto, entremeada pelos seus cabelos, quase que etílica e desafiadora; você vira ácido rascante e dissolvente dos sentidos de qualquer incauto.

Nos dias em que você acorda Clássica você exala a erudição dos que ousaram inventar a música tal como a conhecemos hoje, não me permitindo com certeza discernir se você é complexa ao extremo ou contraditoriamente simples.
Você vira a mais harmônica sonata.

Nos dias em que você acorda Hip hop você traz dos guetos e dos morros de favelas suburbanos a voz revoltada daquele que não chegou jamais a ter alguma voz até agora; você grita em desespero pela igualdade e pela equidade absolutas.

Nos dias em que você acorda Eletrônica você eleva a sua agitação a um determinado nível de insanidade - e até de êxtase - peculiar aos que desejam segurar cada segundo a mais do tempo; e, de vez em quando, eu sinceramente não lhe aguento. Energia quântica em demasia.

Nos dias em que você acorda Barroca você vive a dualidade entre o divino e o mundano. Espírito e carne.
Você vive a mais pudica e a mais (deliciosa) depravada ao mesmo tempo. Você está na missa e no Beco do Mota simultaneamente, lá “pras” bandas de Diamantina.

Nos dias em que você acorda Caipira você se esbalda nos acordeons e nas violas aquecidas na fogueira e no arrasta-pé levantando poeira, que estende as madrugadas da fazenda, tomando cachaça de alambique.
Canta a alegria e a singeleza do homem do campo, tanto quanto a nostalgia e a saudade sertanejas dos que migram às cidades grandes.

Nos dias em que você acorda Disco você brinda à vida mergulhada em um mar de espumante, com a dança mais frenética e passos ensaiados ao longo de toda a sua existência.
Você sempre é a última, descalça e transpirante, a ir embora dos bailes de casamento e de formatura.

Nos dias em que você acorda Samba você se transforma em cerveja bem gelada, feijoada e bate-papo alegre nas manhãs de sábado naquele mercado antigo, quando a mesa de seu bar é templo: um oráculo indestrutível no qual as principais questões da humanidade são minuciosamente dissecadas e solucionadas com inconfundível (e não menos incontestável) sabedoria dos que vivem de verdade a vida.




Você faz com que os meus cinco sentidos sejam todos condensados em ondas sonoras, que me trazem o frescor de suas melodias, a limpidez de suas harmonias e a pujança de seus ritmos intensos e intermináveis.

Eu diria que você é música.“

—  AndreRodriguesCostaOliveira

Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo
Andre Rodrigues Costa Oliveira photo