„Chuva no sertão

Desenhei nos teus lábios
O desenho dos meus lábios
Seco, matei a sede!“

—  Valter Bitencourt Júnior

Publicidade