„Nada possuir, nada carregar, nada pedir, nada calar e, sobretudo, nada matar.“

Sobre a atividade pastoral:

Tópicos
pedir, nada
Dom Pedro Casaldáliga photo
Dom Pedro Casaldáliga5
religioso, escritor e poeta catalão 1928

Citações relacionadas

Friedrich Schiller photo

„Se não arrisca nada, nada ganha“

—  Friedrich Schiller 1759 - 1805

Wer nichts wagt, gewinnt nichts.
Schillers sämmtliche Werke‎ - Página 425, de Friedrich Schiller - Publicado por J. G. Cotta, 1894 - 1124 páginas

Charles Caleb Colton photo
Nikos Kazantzakis photo

„Não espero nada. Não temo nada. Sou livre“

—  Nikos Kazantzakis 1883 - 1957

em grego: Δεν ελπίζω τίποτα. Δεν φοβούμαι τίποτα. Είμαι ελεύθερος
citado em Tradução & comunicação - Edição 6 - Página 38, Associação Brasileira de Tradutores, Faculdade Ibero-Americano de Letras e Ciências Humanas (São Paulo, Brazil), 1985
Atribuídas
Variante: Eu nada espero. Eu nada temo. Eu sou livre.

Melisso de Samos photo
Baltasar Gracián photo
Lucio Anneo Seneca photo
Friedrich Schiller photo

„Quem não arrisca nada não precisa de esperança para nada.“

—  Friedrich Schiller 1759 - 1805

Wer nicht waget, der darf nichts hoffen..
Schillers sämmtliche Werke: In zwei Bänden‎ - Página 344 http://books.google.com.br/books?id=mNmEAAAAIAAJ&pg=PA344, de Friedrich Schiller - Publicado por Cotta, 1867

Henry Fielding photo
Sylvia Plath photo
Padre Antônio Vieira photo
Tim Maia photo

„Tudo é tudo e nada é nada.“

—  Tim Maia Cantor Brasileiro 1942 - 1998

Esta tradução está aguardando revisão. Está correcto?
Chuck Palahniuk photo
George Sand photo
Octavio Paz photo

„Nada em sua vida é surpreendente -- nada, exceto seus poemas.“

—  Octavio Paz 1914 - 1998

Se referindo a Fernando Pessoa; citado em O pensamento vivo de Fernando Pessoa - página 64, Fernando Pessoa, Martin Claret, Cristina Fonseca - M. Claret Editores, 1986 - 110 páginas

Charles Ferdinand Ramuz photo

„Sinto que progrido na medida em que começo a não entender nada de nada.“

—  Charles Ferdinand Ramuz 1878 - 1947

Je sens que je progresse à ceci que je commence à ne rien comprendre à rien.
Charles Ferdinand Ramuz, citado em "Signes du temps. Journal 1986-1992: Journal 1986-1992 ; (extraits)" - página 251, Por André Péry, Publicado por Labor et Fides, 2001, ISBN 283091015X, 9782830910155, 300 páginas

„Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Etiam egestas wisi a erat. Morbi imperdiet, mauris ac auctor dictum.“